A MULHER E O MERCADO DE TRABALHO

A luta da mulher por igualdade no mercado de trabalho vem de muito tempo. Na historia da humanidade a mulher sempre lutou por seus direitos e nunca foi ouvida. Sempre foi descriminada e condicionada a fazer um determinado tipo de trabalho. E mesmo assim não era reconhecido. No mundo atual elas lutam por melhores salários, igualdade profissional, e acima de tudo, por respeito no local de trabalho.

Claro que hoje a situação esta melhor do que alguns anos, mas mesmo assim ainda não é a ideal. Uma pesquisa feita pela Internacional Business Center (IBC), mostrou que 55% das mulheres brasileiras ainda encontram resistência para conquistar boas vaga para trabalhar.

Isso acontece por vários fatores, mas um deles chamou atenção. As mulheres encontram dificuldades por que querem constituir ou já tem uma família. Muitas empresas ainda acham que a mulher que tem filhos não consegue obter sucesso no seu local de trabalho.

Outro fator alarmante encontrado nessa pesquisa, foi de que muitos empresários acham um gasto desnecessário com auxílio maternidade e por isso muitas mulheres não tenham a mesma oportunidades que os homens na hora de receber uma promoção.

Mesmo com esses preconceitos encontrados até hoje, as mulheres continuam rompendo barreiras e lutando por igualdade no local de trabalho. 

Em uma nova pesquisa, da IBC mostra que a mulher brasileira respondem por 41% da força de trabalho e sendo que 24% delas conseguem ocupar os cargos de liderança dentro de uma empresa. 

Quando colocamos em discussão os cargos de Direção a mulher sai na frente. Mulheres com a média de 36 anos estão ocupando esses cargos, sendo que a média do homem é com idade de 40 anos. Já em relação a salário as mulheres ainda ganham 22%  menos que os homens exercendo a mesma função.

Esse é um fator que convivemos diariamente e que são notados. E quando o preconceito acontece e nem chegamos a notar. Por exemplo: Muitos podem achar que mulheres bonitas tem mais chance de conquistar o empreso. Certo? Errado.

A afirmação é baseada no fato que 96% dos profissionais que comandam o processo seletivo são formados por mulheres com a idade entre 20 a 30 e solteiras. Nesse caso o preconceito vem muitas vezes das próprias mulheres que vetam candidatas bonitas, gerando a famosa “inveja” que dificulta a entrada ou até mesmo uma promoção.

Muitas mulheres que passaram por qualquer tipo de preconceito seja ele para entrar numa empresa ou dentro da empresa, estão procurando novos caminhos para se manterem dentro do mercado de trabalho.

Uma solução encontradas por essas mulheres é partir para o empreendedorismo. Um estudo feito pelo SEBRAE 49,3% dos empreendedores brasileiros são mulheres. 

Podemos também dizer que esse numero cresceu devido a eleição da Presidenta Dilma, que além de encorajar melhorou consideravelmente a situação da mulher no mercado de trabalho.

Os números podem mostrar um quadro de melhoras, mas a luta sempre será constante.

Escrito por André Soares – Empresário, Publicitário e Consultor de Marketing 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s